segunda-feira, 29 de junho de 2009

Indriso Retrô


Auto- retrato de Eliseu Visconti


INDRISO RETRÔ

Eis aqui meu amigo fermoso
o qual trago no peito, de forma incondicional.
Outra cousa não penso, nem ouso.

Alembro da voz, dos trejeitos, dos traços,
e em meio a tudo, seus abraços.
Embora feo, o amo.

Üa coisa peço, não nego, de forma contumaz.

Que dele eu não me esqueça, jamais.

CLÁUDIA BANEGAS
http://recantodasletras.uol.com.br/autores/claudiabanegas

sábado, 27 de junho de 2009

O Plebeu e a Princesa




Vós tendes olhos de princesa

A Purpurina e a realeza

Em elos de advertência



Recriei-vos todos os hinos

Na inocência de um menino

Atravessando a adolescência



Vós tendes sonhos mui secretos

E mil castelos de concreto

Rabiscando o horizonte



Clarearei o céu escuro

Iluminando o seu futuro

Iludidamente longe



A vos doei todos os anos

Nos vossos olhos de princesa

Purpurina e desenganos

E um castelo de tristezas



Hoje sigo lentamente

Recriando o horizonte

Passo a passo, coerente.

Como monge, vou distante...



MeMorte

segunda-feira, 22 de junho de 2009

NO TEMPLO DO TEMPO



TEXTO: NO TEMPLO DO TEMPO

TENDÊNCIA: Soneto decassílabo heroico inspirado num jogo de vídeo game; heroísmo épico; Triforce: poder, coragem, saber; aliteração no 1° terceto representando o barulho da espada

NO TEMPLO DO TEMPO

'''The Ocarina of Time opened the door.
The Hero of Time, with the Master
Sword, descended here.''
1
Nintendo. The Legend of Zelda: Ocarina of Time.





Templo do tempo, lúcido transporte
Onde o pequeno moço da floresta,
Nosso herói, ganha vida, fica forte
E recebe a coragem alta e honesta.

Sete anos, sete luzes, sete mundos...
A princesa se afasta do rapaz...
Cruel destino, lépido e fugaz!
Sete anos, sete luzes, sete mundos...

A espada bate, brilha no combate...
Em ti, quanta coragem sábio novo!
A coragem rebate, brilha e bate...

O jogador escreve bela história
E revela pra todo o nobre povo
Poder, saber, coragem: grande glória!
Rommel Werneck

______________________________________________________________

1Retirado do jogo de vídeo game The Legend of Zelda: Ocarina of Time. Trad.: A Ocarina do Tempo abriu a porta. O Herói do Tempo, com a Espada Mestra, surgiu aqui.
________________________________________________________________-


Versão do soneto com imagem:

quarta-feira, 17 de junho de 2009

ENTREVISTA COM O ESCRITOR ROMMEL WERNECK PELA ESCRITORA MARIAH BONITAH










NOME E PSEUDÔNIMO : Rommel dos Santos Andrade Werneck, simplesmente o pseudônimo, Rommel Werneck, que é apenas uma abreviação, mas quando registro obras na BN, esse nome é o que permanece como pseudônimo.

FORMAÇÃO ACADÊMICA E PROFISSIONAL:

Professor estagiário da FUNAP- Fundação de Amparo ao Preso Prof. Dr. Pedro Manoel Pimentel. Estudante so último ano de Letras na UniPaulistana. São Paulo. Qualificação básica em Desenhista de Moda e Vestuário pela ETE José Rocha Mendes.

COMO SE DEU SEU ENCONTRO COM A POESIA?

Rommel: Foi numa oficina do Instituto Pão de Açúcar de Desenvolvimento Humano em S.C.S. aos 15 anos. Eu já tinha versejado antes, mas eram escritos de pouca qualidade e sem uma concepção natural. Na oficina de lá, eu escrevi um poema social e nas férias de 2002/2003, escrevi um segundo poema (um soneto) e aí continuei, porém tive uma pausa/ bloqueio em 2005 e retornei na época da faculdade. Os poemas pré- bloqueio são muito belos, cheguei a ganhar concursos, em um fiquei em 5/ lugar do Brasil, porém esses sonetos não tinham acentos obrigatórios etc e não penso em refaze-los porque fazem parte daquele contexto, sabe. Os poemas A METAMORFOSE e O CAMINHO PARA A FELICIDADE são dessa época.

POETA OU ESCRITOR.?

Rommel: Escritor, porque abrange tanto prosa como poesia e já escrevi muito mais em prosa do que em poesia! Verdade! Escrevia romances, contos e dramas quando eu era criança.


O QUE VOCÊ ESCREVE?

Rommel: Poesia atualmente, principalmente sonetos decassílabos ou hendecassílabos, quando comecei minha carreira eu preferia os de 11 sílabas.

QUANDO VOCÊ COMEÇOU A PRODUÇÃO LITERÁRIA? QUAL FOI SEU PRIMEIRO CONTATO?

Rommel: Foi aos 7 anos quando comecei a ler e escrever, sempre fui muito imaginativo e assistindo às novelas e jogando vídeo-game, logo me interessei pelas narrativas.




COM QUANTOS ANOS COMEÇOU A ESCREVER? HOUVE FASES LITERÁRIAS EM VOCÊ? FALE UM POUCO SOBRE SUA TRAJETÓRIA

Rommel: Meus leitores nem acreditam, mas meus amigos e amigas mais íntimas sabem que escrevi muito mais em prosa que em poesia. VERDADE!!!!

Como disse anteriormente, eu escrevia contos, romances e peças de teatro quando eu era criança e também na pré-adolescência, mas naquele tempo eu misturava o romance com teatro e ficava legal em questões de enredo, mas não havia descrição, por exemplo, e desenvolvimento.

Essas histórias se perderam em enchentes que ocorriam na minha casa em Santo André, mas tenho guardado na memória o enredo personagens, espaço, tempo etc.

Aos 15 anos veio uma segunda fase. Abandonei a prosa e conheci a poesia, foi quando escrevi um poema num curso e me surpreendi, escrevi muitos sonetos também, depois venci um concurso em S.C.S. e outro me destacando em Menção Honrosa (5° lugar entre o Brasil todo), eu tinha apenas 16 anos e foi graças a um soneto.

Em 2005, mudei de escola e passei a procurar trabalho, foi aí que me afastei do meio literário, embora mantivesse a devoção pela arte e pela literatura.

Em 2007 retornei a escrever na faculdade e minha poesia tinha evoluído muito. A pasta ‘Lua Lacrimosa’ é uma prova disso, eu dominei a métrica e consegui fazer os acentos internos, coisa que antes não conseguia fazer.

.

QUAL É O SEU ESTILO LITERÁRIO?




Rommel: .Poesia retrô, uma poesia com traços passadistas que utiliza arcaísmos, emocionalismo, sonetos, velharias etc

VOCÊ DIZ SER POETA GÓTICO. EXPLIQUE ESSE ESTILO.

Rommel: Ah, não sei se sou um poeta gótico, mas eu ponho no perfil que sou, porque eu me visto neste estilo e minhas escrituras tem um lado sombrio muito forte. Geralmente, a poesia gótica não se aplica em sonetos.

CONHEÇO MUITAS PESSOAS QUE GOSTAM DESSE TIPO DE LITERATURA. COMO VOCÊ SE POSICIONA? TEM MUITOS LEITORES?

Rommel: É bom saber que tenho um grande número de leitores e de leitores que me comentam sempre elogiando o trabalho. Afinal, se você publicar um poema na categoria ‘textos eróticos’, ele será muito lido mesmo sendo uma oração e textos tristes são pouco lidos, principalmente sonetos.


ACREDITO QUE HOUVE ALGO QUE O INFLUENCIOU A ESCREVER TAMBEM O GÓTICO, CERTO? QUEM SERIA?

Rommel: Na minha primeira fase poética ( 2002-2005), eu já escrevia sonetos meio góticos embora não tivesse consciência de que eram góticos e nem eram tão trevosos assim, mas exprimiam esse lado passadista muito comum nos meus poemas. Após o curso de Moda ( julho de 2006), resolvi mudar radicalmente minha vida e pôr tudo para fora, nessa época emagreci muito!!!! Durante todo o curso, ia a pé para a Vila Prudente e isso ajudou e no período pós-curso também caminhava bastante. Um psicólogo me falou que não parecia um rapaz de 18 anos e sim um velho pela minha visão de minha. Resolvi me revestir de estilo gótico para recuperar a adolescência perdida, mas de modo poético. Aí, está a minha poesia, num contexto antigo, bem velho.... E quando retomei a poesia em 2007 foi para o estilo gótico que rumei também, o primeiro soneto após meu bloqueio foi o Soneto, é o texto mais leve que fiz e um dos que mais gosto, ( Os braços azuis...)



QUAIS SÃO AS SUAS INFLUÊNCIAS LITERÁRIAS E NÃO-LITERÁRIAS?

Rommel: Quando floresceu a poesia em mim (2002/ 2003), eu estava isolado da internet, só mexia raramente e tinha poucos amigos e não saía de casa, portanto meu mundo era muito interior e as influências vinham de escritores clássicos, presentes nos livros didáticos e de dois escritores muito caros a mim, Yolanda Ascencio e Rinaldo Gissoni.

Ela, excelente professora e intelectual de S.C.S. e ele, presidente da Academia de Letras da Grande São Paulo, eles me ensinaram muito e até tive um curso com Rinaldo Gissoni em 2004.

Mas eu me influencio muito por escritores do passado como Gregório de Matos, Álvares de Azevedo, José de Alencar, Cruz e Souza, Augusto dos Anjos, Florbela Espanca etc.

Das referências não-literárias, posso citar o vídeo game que sempre me influenciou bastante, as artes plásticas, a moda e os relatos autobiográficos
.



QUAIS SÃO OS SEUS PROJETOS?

Rommel: Continuar a escrever bastante esse ano e publicar em 2009 ou depois


O SEU TEXTO MAIS LIDO FOI O SONETO “JÓIA” .FALE-ME SOBRE ELE


Rommel: A idéia era compor um soneto que tivesse as rimas FEBO/ MANCEBO, porque acho as rimas verdadeiros desafios e inspiradoras.

Também fazer um soneto dividido em dois , mas não como o convencional que uso, alterando nos tercetos fazendo um segundo movimento e sim no próprio texto.

Perceba que o poema é dedicado ao vaso e também ao “...pálido virgem, lânguido mancebo”, sendo que está tudo dividido. Também era a proposta escrever sobre a sensualidade masculina, uma vez que poucas vezes ela aparece e tudo numa atmosfera antiga e com mais arcaísmos.

Daí veio o soneto que falaria sobre um vaso dedicado ao deus da beleza: Febo e a um rapaz. Nas estrofes iniciais, há um equilíbrio greco-latino entre o vaso e o rapaz, porém o rapaz é ressaltado na última estrofe, por ser alvo de adoração unicamente por parte do eu lírico.

O título ‘JÓIA’ é uma referência ao vaso (vide o 1° verso do 1° terceto) e também ao rapaz, afinal só por mim é adorado em doces sonhos. Existem várias leituras. Eu não o considerei meu melhor soneto, mas o público gostou.




E QUAL O TEXTO QUE VOCÊ MAIS GOSTA? OU O Q VC ESTÁ CURTINDO NO MOMENTO? UMA VEZ Q NÓS ESCRITORES SOMOS MUITO CRÍTICOS E NÃO CONSEGUIMOS NOS DECIDIR....

Rommel Werneck: É realmente difícil saber o melhor. Passei a gostar mais do ‘Jóia’, depois que obteve muitas leituras. Mas agora, creio que os soneto “LUA LACRIMOSA” e “ ANTES, AGORA E SEMPRE’’ sejam o que mais me definem.


E QUAL O ESTILO MUSICAL OU ARTÍSTICO QUE MAIS SE RELACIONA OU EQUIVALE A SEUS TEXTOS?

Rommel: Algumas bandas de rock gótico e acima de tudo, a música clássica e o canto gregoriano. Destaque para Fratello Metallo, Carmina Burana, Chopin, Illuminandi etc. Nas Artes Plásticas, Munch, Caravaggio, Bouguereau e grandes artistas do Barroco, meu estilo literário e artístico favorito.


VOCÊ É MUITO ENVOLVIDO NO TRABALHO FEITO NO RL..ACREDITA QUE SEJA UM VEICÚLO PARA LEVAR SEU TRABALHO AO CONHECIMENTO E RECONHECIMENTO? OU SEJA. TORNAR CONHECIDO O SEU TRABALHO E PUBLICAR SEUS LIVROS.


Rommel: Eu escrevo não apenas por prazer, Mariah, pois creio que o agradável deve caminhar com o científico/ artístico. Afinal temos que ter alguma pretensão, por isso todos os meus textos publicados na Internet são registrados antes de virem a público. Eu quero ser reconhecido como escritor e divulgo minha carreira, do mesmo modo que farei quando tiver num grupo de teatro e atuar como estilista. Arte é arte!

HÁ QUANTO TEMPO ESCREVE NO RL?

Rommel: Desde dezembro de 2007


VOCÊ SÓ ESCREVE , OU É ENVOLVIDO COM OUTRO TIPO DE ARTE?

Rommel: Sim, no teatro e na moda. Também faço uns desenhos arquitetônicos de igreja e desenho artístico, mas preciso me aperfeiçoar.

COMO E PORQUE COMEÇOU ESSA ATIVIDADE?

Rommel: Em 2005, precisei fazer algo e fiz teatro para encontrar companhia, pois estava sozinho demais e no teatro está uma grande base de minha poesia. E estudei Desenhista de Moda porque não tive com arcar com uma faculdade de Letras em 2006 e também sempre amei moda e ela me influencia na prosa quando descrevo o figurino...

QUAIS ESCRITORES DO SITE VOCÊ INDICA?


Rommel: DR MENDELEV, EDUARDO R, PEDRO GABRIEL (PG), OKLIMA,

QUAL TEXTO SEU VOCÊ INDICA?

Rommel: O soneto Ó Bela Morte.


ROMMEL POR ROMMEL...EM TODAS AS AREAS, UM POUQUINHO DE CADA.

Rommel: Bom, creio que a mekhor forma de te responder é compondo um soneto... rsrsrs... farei o soneto depois. Rommel Werneck,escritor, estilista e ator de estética retrô. Um escritor estiloso e diferente que se resume a um enorme kilt preto cheio de pregas e metais dançando numa ópera.




PANORAMA: Jovem escritor se preparando para a publicação do primeiro livro. Grande sonetista. É atuante no recanto das letras, onde podemos ver suas propostas recptivas no fórum Dirige o blog Poesia Retrô


TEXTOS DO ENTREVISTADO ROMMEL WERNECK:

http://recantodasletras.uol.com.br/autores/rommelwerneck

MATERIAL EM VÍDEO DAS POESIAS:
http://recantodasletras.uol.com.br/forum/index.php?topic=4840.0


TEXTOS DA ENTREVISTADORA MARIAH BONITAH

http://recantodasletras.uol.com.br/autores/mariahbonitah




OBRIGADO MARIAH BONITAH!

sábado, 13 de junho de 2009

I E-BOOK POESIA RETRÔ- DIRETRIZES


I E-BOOK POESIA RETRÔ- DIRETRIZES

Saudações a todos!

Quero dar início ao trabalho de confecção de nosso e-book que abrangerá as poesias retrógradas. Somos poucos autores ainda, então proponho, inicialmente, 4 textos por autor, textos que devem estar de acordo com nossa proposta registrada no texto oficial que contém nossas propostas, características de nosso estilo e uma oficina de exercícios.


Link do texto oficial:
http://recantodasletras.uol.com.br/teorialiteraria/1586748

O blog será constituído de:

- A capa clássica com o auto-retrato de Albrecht Dürer de luvas;
- Índice;
- Prefácio
- 4 textos por autor;
- Análise literária de cada texto;
- Breve biografia do autor
- Agradecimentos especias;
- Bibliografia

PARTICULARIDADES:

Há uma preferência por sonetos com a mesma quantidade de sílabas métricas e poemas num estilo bem retrô. Quanto aos autores mais antigos ou mais frequentes, tenho alguns poemas já em mente.

DENISE SEVERGNINI:
- Romanesco ( já presente no IV E-BOOK VALE DAS SOMBRAS, não seria legal repetir, mas é um ótimo poema, pode ser substituído por Bandida Lua,por um texto novo simplesmente ou por um parecido com Romanesco, Romanesco aborda o anseio de um eu-lírico masculino em encontrar sua “donzela de brunos aspectos”, seria legal se tivéssemos um Romanesco “feminino”, uma donzela clamando por seu príncipe encantado);

- Ósculo Ausente;
- Albrecht Dürer;
- Romantismo;

KATATONIC:

4 sonetos do escritor:

- Modernidade;
- Madrugadas;
- Floresta;
- Nuvens II.
Há muitos sonetos bons como Teatro das Sombras, estou indeciso


GABRIEL RÜBINGER:

- Último Adeus;
- Carpe diem ou Canção do Desencanto e Encanto
- Santa Natura;
- Elegia segunda;

ROMMEL WERNECK:

2 sonetos já muito lidos e conhecidos e 2 textos novos que podem ser novos já registrados ou textos que serão registrados numa pasta nova na BN em pouquíssimos dias e, em seguida, devidamente publicados.

- JÓIA
- ANTES, AGORA E SEMPRE;
-
-

EDIR PINA DE BARROS:

- Bacante!Tu me chamas, com ironia! (Ressentimento);
- Homo Ingratus;
- Ide jovens, co’as sementes!
- Idílio sideral



OBSERVAÇÕES:


- Aceito críticas, sugestões e todo apoio necessário para a seleção dos poemas utilizados, elaboração do prefácio e análise crítica;
- Quanto aos escritores não citados acima, peço mais referências e mais textos, eu sei que deve haver material retrô publicado nos seus respectivos sites, porém ainda não tive tempo disponível para verificar e por isso peço desculpas publicamente e prometo visita-los mais vezes;
- Estou indeciso quanto ao processo de seleção de textos, não sei se publico lá textos meus já registrados e disponíveis aqui comigo ou no recanto das letras ou se pero registrar a nova pasta;
- Todo texto terá após a leitura, uma análise explicando a temática utilizada, as figuras de linguagem, associações e aspectos formais. A sugestão de Gabriel Rübinger é que cada um fizesse a análise de algum texto de outro autor do blog, podemos começar com os textos citados aqui neste texto ou com textos nos blogs, sites etc. ( Critério discutível);
- Seria interessante se tivéssemos divulgadores, isto é, pessoas que admiram nosso trabalho mas não produzem, essas pessoas poderiam ser nossos promotores oficiais em troca também de fazermos a divulgação sos sites/ projetos deles;
- Nosso blog terá uma seção especial envolvendo os assuntos votados n enquete, isto é, Épocas da História, Pinceladas da História da Arte, O ontem de nossa literatura, Costurando meu espartilho, Lá na vitrola etc. Enfim, serão postagens referentes à cultura retrô e serão textos de pessoas específicas de cada área ou dos próprios escritores do blog, eu já tenho uma professor de história que deseja escrever lá, Geovana fará retratos nossos e de escritores clássicos e eu mesmo poderei escrever sobre literatura e creio que cada um dos escritores pode colaborar conversando comigo por msn/ e-mail, afinal sei muito pouco sobre todos e também é interessante que haja pessoas externas para escrever tais colunas;
- Também temos as entrevistas, no momento entrevisto Me Morte e Geovana, mas nosso blog possui as entrevistas com Gabriel Rübinger e com Katatonic e quem quiser ser entrevistado pode me procurar;
- Estive pensando se nosso e-book poderia abranger mais que nossos poemas, ele também poderia ser um e-book de cultura retrô, envolvendo os assuntos citados acima e até as entrevistas, porém deve-se lembrar que a lírica retrô é nosso foco;
- Temos que pensar nas influências que nossas escolhas trarão, assim aceitar a publicação de sonetos nos moldes mais clássicos pode gerar boa repercussão entre tradicionalistas e a propagação de indrisos pode gerar referências nossas no mundo desta forma fixa, assim como tem já referência Gabriel Rübinger;
- Sou muito leigo em informática, mas tenho algumas considerações sobre o design. Um arquivo em apresentação de slides (PPS) talvez não suporte tantos escritos, afinal temos um prefácio e uma análise de cada texto, é bastante material escrito, não sei o que vocês acham e peço para Denise nos ajudar já que ficará a cargo dela o material em PPS. E Márcio Marcelo, administrador do Beco dos poetas que conheci pessoalmente numa oficina que ministrei aqui em São Paulo, está disposto a nos ajudar com um arquivo em pdf. Parece-me que o arquivo em PPS abrange a possibilidade de uma música de plano de fundo, eu pensei numa música clássica ou J’Attendrai de Rina Ketty, música francesa e também em Hey Girl de Billy Joel, mas galicismo era mais comum antes, por isso tenho preferência pela música francesa em questão, ou seja, J’ Attendrai, de Rina Ketty. Quero saber também se podemos utilizar essa música legalmente, sem ferir as normas do ECAD.
- Enfim, sugiro discussão na comunidade do orkut e este texto será publicado no recanto das letras e no blog.
- Parabéns a todos os grandes escritores pelo belíssimo trabalho!


Obrigado,
Rommel Werneck
São Paulo, 13 de junho de 2009

E-mail:
principedark_alvaresdeazevedo@yahoo.com.br

msn:
rommel_dickens@hotmail.com

sexta-feira, 12 de junho de 2009

PROFECIA


Imagem utilizada: William-Adolphe_Bouguereau_(1825-1905) The_Day_of_the_Dead_(1859)



PROFECIA


Um dia, tu estarás em pleno choro

Sangrando em negras lágrimas a terra
As almas do passado em grave coro
Declararão a ti a mais suprema guerra

O castelo dourado e azul morreu
E a vida continua em triste pranto
Eis aquilo que nunca se esqueceu
E que conduz o azedo e amargo canto

Um dia, tu estarás em forte grito
Que tingirá de luto o sonho pulcro
E assim se cumprirá a tal profecia

O futuro será pra sempre aflito
Nós que estamos em lúgubre agonia
Seremos então um único sepulcro.


Rommel Werneck


Soneto que faz parte do IV E-BOOK VALE DAS SOMBRAS, segundo lugar do concurso.


http://poesiaretroapoesiadesempre.blogspot.com

quinta-feira, 11 de junho de 2009




Só! Sem bonança dança, luz, ó luz!
Na solidão perpétua do viver...
Só! Com medo segredo, cruz, ó cruz!
No luto eterno deste alvorecer...

Só! Sem amor calor, alguém, ó alguém!
Na necrópole lúgubre e perdida...
Só! Com sombra que assombra, alguém, ó alguém!
Na floresta sangüenta desta vida...

Só! Chorando exalando negro sangue,
Sangue horrendo, infeliz, morto e ruim,
Morto e ruim querendo amor e dó,

Dó e caritas, amor, tudo tão só.
Só! Sem cor, sem ninguém, sem luz, sem fim!
Afundando-se neste rubro mangue...

Rommel Werneck




Créditos

Tela: Das Schweigen - Artista: Füssli


Abaixo, uma foto de Gisele Sayoko e o soneto Só:




IV E-BOOK VALE DAS SOMBRAS- HÁ UM SONETO INÉDITO MEU LÁ...

Um arquivo em PPS de extrema qualidade (apresentação de slides), idealizado por Me Morte tendo como designer Denise de Souza Severgnini e co-produção dos poetas: Giselle Sato, Mariana Lopes, Diego Balin, Rafaela Malon, René Ociné, Álex Marcondes, Thiers R>, Rommel Werneck, Fabrizio S. Silva, Ivy Gomide, Fillipe Jardim, Paulinho Dhi Andrade, *Gaivota*, Ruy Villani, Wilson R., Caio Tadeu de Moraes, Antônio Celso Mendes, Flávio Mello, Valéria Callegari, Flá Pérez, Emerson Sarmento, Claudio Cavalcanti, Adroaldo Bauer, Me Morte e Denise de Souza Severgnini..Ligue o som e se prepare para momentos especiais de grande emoção..BAIXE AQUI

http://recantodasletras.uol.com.br/e-livros/1620380

terça-feira, 9 de junho de 2009

REPOST.


Publicando aqui um dos sonetos que mais amo de Edir Pina de Barros.




Ide jovens, co’as sementes!

Ide jovens, co’as sementes!
O mundo é vossa lavra...
Mantende sonhos ardentes
E sustentai a Palavra!

Lutai co’as unhas e dentes
Defendais o fino trato,
A todas aquelas gentes
Que conhecem só maltrato!

Não percais um só segundo,
A luta é duradoura...
A vida é tão movediça!

Ide jovens, pelo mundo,
Cuidar da vossa lavoura,
Semeai força e justiça!

Imagem Google: Deméter

sábado, 6 de junho de 2009

PÁLIDO PECADO


Pecado, Franz von Stuck

Oh! Pálido Pecado da gris Morte
Numa misteriosa e bela dança!
O jogo dos olhares... Esperança!
O movimento quente, lindo e forte...

Oh! Pálido Pecado que em mim lança
Fascínio, sedução... Oh falsa sorte
Que me deixa sem luz, céu, vida e norte!
Maldita e imaculada! Triste dança!

Oh! Pálido Pecado... Juventude...
Dança, dança, divina grã-beleza!
Dança, dança, lasciva grã-pureza!

Dança sem fim, desejo atormentado...
Virtude escura... Pálido Pecado...
Oh! Pálido Pecado de virtude!

Rommel Werneck
http://recantodasletras.uol.com.br/autores/rommelwerneck

Confira o clipe deste soneto em : Pálido Pecado http://br.youtube.com/watch?v=HqxcEf1M1jY

E a versão da tela de von Stuck com o soneto confira abaixo:


terça-feira, 2 de junho de 2009

MÚSICA



Burne-Jones A Sea-Nymph


Ouça a canção que o lago azul produz...
Somente ela, no mais florido dia
E pelas ondas frias nos conduz
Ao equilíbrio divino: poesia!...

O barulho das águas reproduz
A suave paz, pura sinfonia
Escuta os sons, sinta toda a luz
De uma batida desta melodia!


Ébria sereia escura e glacial
Surge e quebra a sublime natureza!
Ouça a ópera pesada e especial!


Que destrói e impõe uma fortaleza...
Gótica forte, pálida e fatal,
Arranca minha angélica pureza!


Rommel Werneck