terça-feira, 11 de agosto de 2009

NOITE SILENCIOSA


Böcklin - Ruins in a moonlit Landscape

NOITE SILENCIOSA


Agora, as noites são longas, vazias...
Oh! Triste madrugada torturosa
Que através destas brisas más e frias
Revela uma amplidão silenciosa!



Agora, só ficaram nostalgias,
Noite lenta, simplória e tenebrosa,
Silêncio intenso e fúnebre. Sombrias
Névoas cobrem a Lua lacrimosa...



Na noite em que eu não estava assim, sozinho...
As horas não passavam devagar.
Anjo flor rapidez vida cantar



Amor bonança dor saudade infinda!
Depois daquela noite alegre e linda,
Perdido estou por este descaminho.


Rommel Werneck

http://recantodasletras.uol.com.br/autores/rommelwerneck

http://poesiaretroapoesiadesempre.blogspot.com/

Nenhum comentário: