quarta-feira, 19 de agosto de 2009

SONETO

Em pleno dia, a Lua apareceu
Anoitecendo a vida sem demora!
E impondo o luto eterno para o céu,
Destruiu aquilo que era a linda aurora!


O Sol surgiu só à noite de repente.
Queimou estrelas deixando cicatrizes.
Após cegar as trevas infelizes,
Instaurou a luz do medo eternamente!


Dia e noite pra sempre tão invertidos...
Eclipses totais, lúgubre futuro...
Frio amor desigual, sombrio e forte


Conduz-me ao patamar da altiva morte!
Lua clara, céu misto, Sol escuro!
Razão e emoção, valores perdidos.
ROMMEL WERNECK

Nenhum comentário: