segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Respostas




ainda ontem voava
livre como tem que ser
em plena ãnsia
de amar todas as coisas, viver...

agora pousa triste
como um infeliz, um enjeitado
da vida espera a morte
de corpo esguio à magro...

sorriso efêmero
choro incontido,
suplica pelo amigo
o leito o seca, o peito sangra...

ainda ontem andava
livre, um pretérito imperfeito
quer saber se a morte o levou
ou se foi ele, que não viveu direito...

Nenhum comentário: