sábado, 21 de novembro de 2009

CAJADO

Estive afastado da internet por um problema no discador, mas já retornei...





CAJADO




Até agora, foste meu grande parceiro
Nas vidas de nossa excelsa trajetória.
E nas aventuras vivas da memória
Mereceste o título de cavalheiro

Sim! Sobrevivemos ao desfiladeiro
E ao pico do monte chegamos com glória
Do alto, contemplamos nossa bela história:
Os passos que demos pelo mundo inteiro



De minha presença a vida já reclama
Prostro-me diante de Deus para orar
E dizer, cajado, que te amo, meu amigo

Se te segurar, às vezes, não consigo
Perdoa-me, minh' alma morta te clama
Eu já não consigo mais me suportar.

Rommel Werneck




Beijos e abraços.

Um comentário:

Efigênia Coutinho disse...

Rommel Werneck


BRAVO!!!
Belo soneto, lindo espaço, seremos companheiros, e espero você ao meu espaço,
com admiração,
Efigênia Coutinho