sábado, 16 de janeiro de 2010

Bela Dama Exótica

Minha bela dama exótica,
Que prazer é tê-la ao meu lado,
Tuas cartas exaltaram meu peito.
Tais mensagens intensas
Sustentaram sonhos saborosos.
Agora não estou tão só,
Detrás de tua voz infantil
Existe uma mulher amável.

Com linguagem mansa,
Tuas palavras extasiam,
Como se eu nunca amasse
Nessa vida breve.

Em mistérios de teu íntimo
Faço-me um detetive
E descubro tuas facetas
Enquanto as horas passam.

Penso em nossa inconstância
E busco-te entre tantos rostos.
Liberemos agora nossos instintos
Para viver o indefinido.



- Mensageiro Obscuro.
Abril/2005.


Foto: "Dance" por Alphonse Mucha, 1898.

2 comentários:

raquel donega disse...

Seus poemas são bem trabalhados

Salientam por meio das palavras a beleza e o ser exótico da dama.

Um amor tão humano que soa meio libertino

Adoro...

bjs

Quel Donegá

Helena Othon disse...

Essa poesia é ora mim, tão exótica como minha vida e a flor do maracujá! Obrigada por me fazer viajar nesa bela poesia! boa sorte sempre!