terça-feira, 16 de março de 2010

Daniel C. B. Ciarlini e mais um grande soneto



Amor e Paixão

(à Jane Austen, pela dualidade de seus títulos)


Não se iluda, amiga, a paixão é passageira
e o amor, quando existe, é sempre permanente.
Paixão: fogo que se vai. Amor: algo inteiro.
É dicotomia, e ao entender, só se sente.


O que se entende da paixão é corriqueiro;
o que se constrói no amor é tão envolvente,
é tão especial, tão e tão companheiro
que mesmo em face da solidão lhe não é ausente.


Observe, amiga, a diferença é simbólica,
é fácil de entender, difícil de explicar:
a paixão quando ama, amiga, ela é diabólica;

o amor quando doa amor, dá sem nada esperar;
a paixão é obcecada, insere-se melancólica,
diferente do amor, perdido a se doar!



Daniel C. B. Ciarlini

Parnaíba, 30 de março de 2009.

Nenhum comentário: