domingo, 22 de agosto de 2010

Sempre moço perfume ancião de idades mortas...

Retirado da Wikipédia



New York


Resplandeces e ris, ardes e tumultuas;
Na escalada do céu, galgando em fúria o espaço,
Sobem do teu tear de praças e de ruas
Atlas de ferro, Anteus de pedra e Brontes de aço.


Gloriosa! Prometeu revive em teu regaço,
Delira no teu gênio, enche as artérias tuas,
E combure-te a entranha arfante de cansaço,
Na incessante criação de assombros em que estuas.


Mas, como as tuas Babéis, debalde o céu recortas,
E pesas sobre o mar, quando o teu vulto assoma,
Como a recordação da Tebas de cem portas:


Falta-te o Tempo, - o vago, o religioso aroma
Que se respira no ar de Lutécia e de Roma,
Sempre moço perfume ancião de idades mortas...


Olavo Bilac

5 comentários:

Hilton Valeriano disse...

Uma cidade sem alma...

L.Rommel Werneck disse...

Ah! Mas eu tenho vontade de assistir missa na Catedral de São Patrício...

Hilton Valeriano disse...

Prefiro Notre Dame!

Hilton Valeriano disse...

Não sou anti-americano... Amo Jazz e alguns poetas americanos como William Carlos Williams e Walace Stevens...

rommel.werneck disse...

Tb é muito bonita