terça-feira, 31 de agosto de 2010

SONETO -TÍTULO DE MINHA ÚLTIMA PASTA LITERÁRIA REGISTRADA NA BN






CÉU VERMELHO



Resplandecem no céu mil tons vermelhos
Incendiando tudo, o lago e a neve.
Foi o tempo de dobrar os meus joelhos,
E desejar que tudo fosse leve...

Pouco a pouco, a confusa vida escreve
Maldições negras, únicos conselhos...
A minha alma cansada se descreve
Como um mar de antiguíssimos espelhos.

Prossegue a morte, bela primavera,
E me persegue a mórbida pantera...
Malgrado esteja duro e rubro o céu!

Eu sei que nesta Terra tão cruel
Tu me farás vencer o triste jogo,
E não me deixarás arder no fogo.
Rommel Werneck
Publicado no Recanto das Letras em 31/08/2010
Código do texto: T2469841

Nenhum comentário: