quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

QUE ROMÂNTICO! Releitura romântica





ANJO MORTO


Só e perdido na mais negra necrópole,
Encostado na cruz de um vil sepulcro,
Revelando um sorriso puro e pulcro
No mais distante ponto da metrópole.


Anjo defunto, corpo cadavérico...
Carnes magras, sublime e santo rosto,
Em que o célere tempo deixou posto
Um grito morto, um canto forte e histérico.


Apetecido, surge ele tão vivo,
Pra eu cometer meu próximo delito.
Dragão que se aproxima tão lascivo,


E me deixa perdido em mais conflito,
E crava em mim seus dentes diabólicos,
E vê graça em meus olhos melancólicos!


Rommel Werneck



Pasta Anjo Morto - Fundação Biblioteca Nacional - 2008

 Publicado no Recanto das Letras originalmente 

Há um blog que não cita meu nome após o soneto. 
 

4 comentários:

Derek Soares Castro disse...

De todos os teus sonetos que conheço, pra mim este é o melhor! Abraços.

André L. R. Cândido - Cretchu disse...

Esta é uma releitura por excelência. Também considero um dos melhores sonetos de sua autoria.

Febo Vitoriano disse...

No momento, estou trabalhando em dois sonetos de 14 sílabas numa releitura parnasiana

Febo Vitoriano disse...

Fico agradecido