segunda-feira, 11 de abril de 2011

No bálsamo da essência falecida...




EMBRIAGADA


Ela está lá dormindo num caixão,
Apaixonada pela própria vida...
Ela paira, medita e clama então
Por alguma alma mais empodrecida...


Ébria flor sem espinho ou coração,
Dançando morta já desaparecida
Pelos jardins suspensos da paixão,
No bálsamo da essência falecida...


Ela está venerando apavorada
A própria imagem tão cheia de nada!
Ela está lá chorando desprovida,


Apaixonada pela própria vida!
Apaixonada? Nunca amou alguém!
Vida? Nem isso a pobre mulher tem!     


Rommel Werneck


Um comentário:

Febo Vitoriano disse...

Tio Charles aprova ^^
Oh! Absinto.....