quarta-feira, 26 de outubro de 2011

INDRISO EM 14 SÍLABAS

Pedro Américo 
A Noite e os Gênios do Estudo e do Amor



NIX


“A noite clareia os olhos do cego”
Hilton Valeriano


Ô, Noite, Noite, uma deusa na eterna primavera
Sorvendo em lágrimas sonhos passados sem destino
Veludo negro voando sem tempo, sem espera


Que cede a glória a período doce e matutino
Ah! Dia, Dia que a vida do Sol canta e venera
Teatro rubro de lúcido fogo cristalino


Porém ao filho soturno da Mãe Melancolia


É sempre Noite suprema, jamais chega a ser dia



Rommel Werneck 


Encaminhado para a Antologia Internacional

Um comentário:

Non je ne regrette rien: Ediney Santana disse...

"Que cede a glória a período doce e matutino
Ah! Dia, Dia que a vida do Sol canta e venera
Teatro rubro de lúcido fogo cristalino" versos profundos e me tocaram batante