quarta-feira, 18 de abril de 2012

... ET IN PÚLVEREM REVERTÉRIS





Meménto homo, quia pulvis es, et in púlverem revertéris.”
Missa de Quarta-Feira de Cinzas



Depois da orgia estava embalsamado
Entre rubros lençóis o efebo só.
Nos seus sonhos estava ali deitado
À rigidez da carne, ao brilho em pó.


A carne nua em brilho de brocado
Era beleza simples e sem dó
Fisgava o sábio grego apaixonado
P’ra tatear de novo a carne, o pó...


Que corpo glacial! De luz, dormente...
E que sangue nobre! Pálido rubor...
E, pondo as mãos no peito intensamente


Do lívido rapaz dos cemitérios
Já não tinha na Terra mais fulgor...
Era agora um deus grego em céus etéreos...



Rommel Werneck
Enviado por Rommel Werneck em 18/04/2012
Código do texto: T3619124
 Escrito em 2011

                                                                

2 comentários:

Hilton Valeriano disse...

Mais uma obra prima sir Rommel Werneck!

Tiago Furtado disse...

na verdade é rançosa essa nostalgia toda, descobri agora...