domingo, 8 de abril de 2012

Soneto marginal retrô






GAROTO DE ALUGUEL



E esta boca com gosto de cigarro?
E este batom com cheiro de motel?
Tudo isto que parece ser bizarro
É na verdade o mais florido céu!


E estas costas repletas de água e barro?
E este peito tão áspero e cruel?
Eu vomito aguardente de catarro
Com meu simples garoto de aluguel...



E este coração tão seco e tão duro?
Que nem mesmo respira, pulsa ou bate
Que mais parece caixa de amianto?!


E este puto com cara de anjo e santo
Que na esquina, na vida, no combate
Enfrenta novamente seu futuro?


Rommel  Werneck 


NOTAS:


2- Soneto em decassílabos heroicos sob inspiração baudeleriana. Um soneto marginal, porém na poesia de sempre, isto é estudar possibilidades...


4 comentários:

Haim Fridman disse...

"Tudo isso que parece ser bizarro/É na verdade o mais florido céu". Isso é uma das essências do Baudelaire. Gosto, cheiro, tato...há uma tendência - não só na poesia - de supervalorizar a visão, como se tudo se resumisse em "olhar e ser olhado". Pois é, Rommel, você sabe polir um cristal com "água" e com "lama". Abraços, Haim.

Febo Vitoriano disse...

Poxa, Haim! Muito agradecido, Tio Charles

Charles Sanctus disse...

Gostei Rommel... Dói na realidade.

Febo Vitoriano disse...

KKKKKKKKKKKKKKKKKKK